Notícias
Últimas
Da Hipermeios
Arte e Cultura
Entrevistas
Mundo profissional
Saúde e bem-estar
Universidade
Vida sustentável
Colunas
 
Destaques
Festivais: arte pulsante por todo o Brasil
O Brasil é hoje um caldeirão pulsante de arte e cultura, com um número crescente de festivais se espalhando pelo interior. Longe do circuito tradicional das grandes capitais, acostumadas a receber megaeventos, cidades do interior têm abrigado iniciativas de pequeno e médio porte, viabilizadas por redes de apoio e pessoas interessadas em produzir e incentivar a cultura. [+]
 
Pedro Markun: 'A política não precisa ser uma coisa que a gente detesta'
Ele é um dos idealizadores do movimento Transparência Hacker, que reúne jovens de várias profissões com a proposta de juntar comunicação e tecnologia em favor dos interesses da sociedade. Por exemplo, ajudando a tornar mais transparentes as informações sobre as ações de governantes e parlamentares. [+]
 
 
Busca

 
Tags
alimentação artes plásticas autoconhecimento carreira cinema consumo consciente cultura economia da cultura educação empreendedorismo estágio estresse história internet literatura meio ambiente música poesia pós-graduação psicologia

 
 
quarta-feira, 29 de março de 2017 Quem somos
Serviços
Portfólio
Clientes
Contato
Página Inicial > Notícias > Saúde e bem-estar
 
Gengibre: saboroso e medicinal
 
A boa alimentação é a principal arma para manter-se saudável e ativo durante as mudanças bruscas de temperatura. Incluir no cardápio o gengibre traz inúmeros benefícios ao organismo, como fortalecer a imunidade.
 
05 de setembro de 2010
por Camila Passetti
 

Utilizado no Oriente há milhares de anos, o gengibre (zingiber officinalis), um rizoma (caule que nasce sob a terra), caiu de vez no gosto do brasileiro, apreciador das culinárias que abusam do alimento, como a japonesa, tailandesa, chinesa e indiana.

Mas além de ser um excelente ingrediente, suas propriedades são capazes de combater náuseas, enjoos, gases intestinais, indigestão, rouquidão, doenças do sistema respiratório como asma, bronquite e catarro crônico, congestão nasal, dores de garganta, artrite reumatóide, osteoartrite, dores musculares e nas articulações, entre outros problemas. 

''Desde a introdução do gengibre na Europa Ocidental, ele tem sido indicado como remédio para controlar náuseas e enjoos, e estudos clínicos feitos mais recentemente têm apresentado resultados favoráveis no uso do gengibre na prevenção e controle desses sintomas, que acometem muitas pessoas quando em viagens de avião e em outros meios de transporte'', conta a nutricionista e gerente técnica do Conselho Regional de Nutricionistas (SP-MS) Solange de Oliveira Saavedra.

Segundo ela, uma grande vantagem desse rizoma é que ele não produz efeito sobre o sistema nervoso central, comum a muitos remédios empregados para aliviar enjoos. ''Portanto, os pesquisadores sugerem que o gengibre produz um efeito antienjoo local, agindo diretamente sobre o sistema digestório'', explica.

No caso de gripes e resfriados, ele pode ser um grande aliado. O ideal é preparar um chá e consumi-lo entre as refeições. A médica ainda explica: ''Um pedacinho de gengibre cru na boca pode ajudar a eliminar a rouquidão e acalmar a tosse. Para isso, já existem no mercado cristais de gengibre (doce e salgado) que também ajudam nesses problemas de voz e garganta''.

Além dos seus efeitos medicinais que agem diretamente nesses problemas de saúde, sua capacidade de esquentar o corpo provoca uma aceleração no metabolismo, ativa a circulação, estimula a mente e mantém a vitalidade. 

Cuidados básicos

Porém, é importante frisar que mesmo as ervas, raízes ou rizomas usados como fitoterápicos, como o gengibre, podem causar efeitos colaterais em alguns casos. ''Por serem naturais, eles passam a ideia de serem inócuos, sem riscos'', ressalta Solange.

Alguns estudos observaram que a utilização de medicamentos ou drogas fitoterápicas alteram a coagulação sanguínea. Em casos de pré-operatório, por exemplo, muitos pacientes não relatam ao cirurgião o consumo de fitoterápicos, por considerar que não há contraindicações.

''Dentre os fitoterápicos que alteram a coagulação sanguínea, está o gengibre, o que poder gerar complicações no pós-operatório (risco de sangramento). Portanto, até o uso de fitoterápicos deve ser relatado aos profissionais de saúde, em especial ao médico, principalmente se ocorrerá um procedimento cirúrgico'', ela alerta.

Como usar e consumir

De acordo com o Ministério da Saúde, o gengibre deve ser usado sob a forma de infusão ou decocção (chás).

Solange ensina: ''A infusão consiste em despejar água fervendo sobre a substância, neste caso o gengibre (bem cortado), abafar e deixar repousando por um período de cerca de 10 a 15 minutos. No caso do gengibre, como é mais grosso, a sugestão é deixá-lo repousando por mais tempo, cerca de 20 a 30 minutos, e depois, coar e tomar''.

Para fazer o chá, basta colocar os pedaços em uma panela, adicionar água fria, tampar a panela, e levá-la ao fogo para o cozimento, que pode variar de 15 a 30 minutos. ''Após o cozimento é recomendável deixar descansando por alguns minutos, coar e tomar'', acrescenta.

A nutricionista explica que existem outras indicações para uso do gengibre, mas que não há evidências científicas que comprovem sua eficácia. Mesmo assim, ela ensina:
''Como cataplasma (uso externo), ele é bem ralado, amassado em um pano e colocado sobre o local - indicado para reumatismos e traumatismos na coluna vertebral e articulações'', afirma.
 
Ela continua: ''Fresco, ele serve para rouquidão e limpeza da garganta e é mascado em pedaços. Ele também pode ser ralado e adicionado a xaropes, juntamente com outras plantas''.

Novamente, ela chama a atenção sobre as plantas que serão misturadas no xarope. ''Só por serem substâncias vegetais e tratadas como fitoterápicas não quer dizer que são inócuas. Existem contraindicações e riscos no uso indiscriminado de vegetais tidos como fitoterápicos'', ressalta. 

Na culinária

No Brasil, o uso mais popular do gengibre é no quentão, mais consumido nas épocas de Festa Junina, ou seja, no frio, graças a sua capacidade de aquecer bastante o corpo. Mas ele também pode ser usado em sucos, sopas, saladas e refogados, onde dá um toque mais do que especial de sabor, picante, mas ao mesmo tempo adocicado.

Ele é encontrado sob diversas formas: in natura (fresco), seco, cristalizado, em pó e moído. ''O que não é recomendado é substituir um tipo pelo outro nas receitas, pois seus sabores são muito distintos: o gengibre seco tem sabor mais suave e o fresco é mais aromático'', Solange dá a dica.

''Gradativamente, o gengibre vem sendo incorporado em outras preparações, até porque a culinária oriental, em especial a japonesa, caiu no gosto de muitos brasileiros, e algumas dessas preparações utilizam essa especiaria no tempero de pratos como carne de porco e peixes, como o sashimi (peixe cru)'', conta Solange.

Fresco, ele é amplamente utilizado em boa parte da Ásia (China, Japão, Indonésia, Índia e Tailândia). Já no Japão, por exemplo, ele é usado sob a forma de suco (gengibre espremido) para temperar frango, e as conservas feitas com os rizomas são consumidas puras ou com sushi. Sob a forma cristalizada, é um dos confeitos mais consumidos no sudeste asiático.

O gengibre também faz parte da composição do curry, tradicional condimento indiano, cada vez mais comercializado no país. ''Ainda existe o molho shoyu, que muitas vezes é servido com o gengibre ralado bem fino, o que dá um toque todo especial ao tempero de algumas saladas e legumes grelhados'', destaca.

Matéria produzida para o site Bradesco Universitarios em 22/07/2010

 
Imprima
 
 
leia na mesma seção
Saiba se você é um ''Facebookólatra''
Um pouco de ansiedade pode ajudar
Para emagrecer é preciso 'ter cabeça'
Não é preciso comer muito para comer em excesso
A boa memória depende de saber esquecer
A importância de ler rótulos dos alimentos
Organize seu tempo e seja feliz
Neuróbica, a ginástica para o cérebro
Alimentação saudável é seguro contra estresse
Alongamento ajuda a diminuir as tensões do dia-a-dia
Amadurecer exige esforço e autoconhecimento
Excesso de exercícios prejudica a saúde
Hábitos alimentares podem influenciar nos estudos
Física quântica e os livros de autoajuda
 
Tags relacionadas
saúde; alimentação

 
© Hipermeios 2006-2017. Todos os direitos reservados.
Rua Garcia Lorca, 147 | São Paulo SP | 05519-000 / tel +55 11 3285 2577

  RSS 2.0 | Mapa do site | Espaço privado | Créditos