Notícias
Últimas
Da Hipermeios
Arte e Cultura
Entrevistas
Mundo profissional
Saúde e bem-estar
Universidade
Vida sustentável
Colunas
 
Destaques
Festivais: arte pulsante por todo o Brasil
O Brasil é hoje um caldeirão pulsante de arte e cultura, com um número crescente de festivais se espalhando pelo interior. Longe do circuito tradicional das grandes capitais, acostumadas a receber megaeventos, cidades do interior têm abrigado iniciativas de pequeno e médio porte, viabilizadas por redes de apoio e pessoas interessadas em produzir e incentivar a cultura. [+]
 
Pedro Markun: 'A política não precisa ser uma coisa que a gente detesta'
Ele é um dos idealizadores do movimento Transparência Hacker, que reúne jovens de várias profissões com a proposta de juntar comunicação e tecnologia em favor dos interesses da sociedade. Por exemplo, ajudando a tornar mais transparentes as informações sobre as ações de governantes e parlamentares. [+]
 
 
Busca

 
Tags
alimentação artes plásticas autoconhecimento carreira cinema consumo consciente cultura economia da cultura educação empreendedorismo estágio estresse história internet literatura meio ambiente música poesia pós-graduação psicologia

 
 
sábado, 24 de junho de 2017 Quem somos
Serviços
Portfólio
Clientes
Contato
Página Inicial > Notícias > Arte e Cultura
 
Monteiro Lobato na internet
 
Acervo digital com cartas, documentos, fotografias, ilustrações, monografias e dissertações sobre o grande escritor brasileiro foi criado e disponibilizado por pesquisadores da Unicamp.
 
30 de abril de 2007
por Maria Clara Pitol
 

Monteiro Lobato, tão conhecido por seus belos e irreverentes trabalhos, especialmente para o público infanto-juvenil, pode agora ser estudado mais de perto, para além dos seus livros. Pela internet é possível ter acesso às cartas que ele escreveu ainda em Taubaté, teses, monografias e dissertações sobre o autor, fotografias e retratos de família, entre outros documentos.

A novidade faz parte do Projeto Temático Monteiro Lobato (1882-1948) e Outros Modernismos Brasileiros.

Foi criado e desenvolvido por uma equipe de pesquisadores, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e da Universidade de Campinas (Unicamp).

“O Projeto Temático é, na verdade, um desdobramento do Memória da Leitura, projeto desenvolvido anteriormente sobre a história da leitura e do livro no Brasil”, explica a jornalista e estudiosa de Monteiro Lobato, Cilza Carla Bignotto.

De acordo com ela, os objetivos do projeto são “primeiro montar uma vitrine do material que já existe no Fundo Monteiro Lobato, e, segundo, aglutinar pesquisadores de Lobato espalhados por todo Brasil”.

O acervo digital do autor encontra-se no site www.unicamp.br/iel/monteirolobato, onde todo o material do Fundo Monteiro Lobato ficará disponível. Os documentos disponibilizados no portal estão sob custódia do Centro de Documentação Alexandre Eulálio (Cedae), do Instituto de estudos da Linguagem da Unicamp.

Na página do Projeto Temático também há links, por meio dos quais se pode pesquisar e acessar nomes e localizações de monografias, dissertações e teses que ainda não foram digitalizadas, além de artigos, textos jornalísticos, bibliotecas e até outros sites sobre o escritor.

“Há muito material inédito que está sendo utilizado para estudar aquilo que chamamos de zonas de sombra, ou seja, tentar entender alguns aspectos da vida de Lobato que ainda não foram tão bem explicados e compreendidos”, destaca a pesquisadora.

Fundo Monteiro Lobato

O início de tudo foi em 1999, quando a jornalista Cilza Carla Bignotto doou o material acumulado durante sua pesquisa de mestrado sobre Monteiro Lobato para a Unicamp:

“Eu morava em Santos e estava fazendo meu mestrado. Certo dia, encontrei um vendedor de livros que tinha adquirido peças raras de Lobato e estava vendendo por um preço bom. Como tinha bolsa da Fapesp para fazer a pesquisa e desenvolver o trabalho, pude, então, comprar o material e doá-lo à Unicamp”, conta ela.

Foram doados recortes de jornais, revistas e a coleção com aproximadamente 500 obras raras do autor.

Em 2001, o Fundo tornou-se ainda mais completo e sofisticado, após a visita dos familiares de Lobato à Unicamp. Os herdeiros ficaram entusiasmados com o grupo de estudos da universidade e resolveram colaborar também.

“Fizemos uma exposição com o material que tínhamos e convidamos a família do Lobato. Eles gostaram muito de ver como a obra é bem cuidada e resolveram doar o material que ainda estava com eles”, lembra Cilza.

Doaram, então, em regime de comodato, o acervo que tinham: cartas, fotografias históricas, livros e até objetos pessoais do autor.

As fotografias são um grande atrativo. Existem alguns retratos de aquarelas e desenhos feitos pelo próprio Lobato. Também estão disponíveis fotografias de família, com o autor ainda criança, e fotos que ele tirou dos filhos.

“Lobato era um fotógrafo incrível. Tinha um olhar, um enquadramento fantástico. É uma outra faceta que só agora estamos conhecendo”, revela a jornalista e pesquisadora.

Monteiro Lobato na web

A idéia de um acervo digital do escritor surgiu durante um projeto sobre a história da leitura e do livro no Brasil, o Memória da Leitura, iniciado na Unicamp pela professora Marisa Lajolo.

“Com a criação do Projeto Temático estamos revendo a obra e a vida de Monteiro Lobato a partir de todos os documentos inéditos disponibilizados”, destaca a pesquisadora Cilza Carla Bignotto, que trabalha com Marisa Lajolo há mais de dez anos.

A especialista em Lobato e coordenadora do Projeto Temático notou a ligação da figura de Monteiro Lobato com a modernização de projetos editoriais de difusão de leitura.

O projeto foi lançado em abril de 2006 e, desde então, já teve mais de 2.500 acessos: “É aquela palavrinha mágica: democratização. Com o acervo digital o acesso é muito fácil, e, além disso, os documentos ficam mais bem conservados, já que cada pesquisador que vai mexer em algum material pode acessá-lo digitalmente”, comenta Cilza.

Para o público em geral também há a possibilidade de conhecer melhor o escritor Monteiro Lobato: “As pessoas podem conhecê-lo como escritor para adultos, jornalista e autor de vários gêneros literários, não só infantil”, diz a pesquisadora.

A intenção é disponibilizar todos os arquivos até 2007: “Esse é um patrimônio de todos os brasileiros ao qual todos agora podem ter acesso”, acrescenta a jornalista.

Matéria produzida para o site Bradesco Universitários em dezembro de 2006.

 
Imprima
 
 
leia na mesma seção
Brasileiros se rendem à cultura pop japonesa
Festivais: arte pulsante por todo o Brasil
Dilema digital: Como fazer história no futuro?
A arte contemporânea do grafite
A presença do livro digital
Em debate, o conto.
Documentário conta a história do baião
A dança como profissão, por Ivaldo Bertazzo
Alex Flemming: reflexões sobre a globalização
O mercado de animação de vento em popa
A arte politizada 'made in Brazil'
Tatiana Belinky: energia de sobra aos 90
Vanguarda jazzista em São Paulo
O teatro que atrai os jovens
Quantos livros cabem no seu bolso?
1808, o ano em que o Brasil virou nação
O mundo inovador de Guimarães Rosa
A cultura movimentando a economia do planeta
Os ventos da Tropicália, 40 anos depois
Drummond, poeta inovador
Não perca o próximo espetáculo de dança
Prazer, Cartola
A leveza do deserto na prosa e poesia brasileiras
Editoras universitárias se consolidam no Brasil
Internet dá origem a uma nova forma de arte
Jovens descobrem o samba e resgatam tradições
Música independente dá vigor à cena da MPB
Quem são os novos cinéfilos?
Rádios online e podcasts, novas formas de ouvir música
Saiba o que é indústria criativa
Tem influência árabe até no samba
O legado de Itamar Assumpção
Blogs abrem espaço para difusão cultural
 
Tags relacionadas
literatura; internet; universidade

 
© Hipermeios 2006-2017. Todos os direitos reservados.
Rua Garcia Lorca, 147 | São Paulo SP | 05519-000 / tel +55 11 3285 2577

  RSS 2.0 | Mapa do site | Espaço privado | Créditos